Posts Tagged ‘energia’

h1

Relógios

12/01/2011

Toda vez que saio de casa para ficar pelo menos dois dias fora, desligo o disjuntor da eletricidade do meu quarto. Faço isso porque meu ventilador de teto e a luz do quarto são eletrônicos, controlados por controle remoto. Toda vez que há uma falha na energia, a luz do quarto acende. Ou seja, se saio de casa às 15h de sexta para voltar às 20h de domingo e às 15:05h há uma queda de energia, a luz do meu quarto ficará acesa até o domingo, às 20h, quando retornar ao lar, somando quase 53h de luz acesa. Portanto, desde que descobri essa falha no sistema do meu ventilador de teto, adotei essa medida preventiva, para não desperdiçar energia – ela custa muito caro para mim e para o planeta.

Pois bem, completado o preâmbulo, digo o que realmente quero dizer.

Sexta passada fui viajar e, como de costume, desliguei o disjuntor. Fui para Búzios, foi uma viagem deliciosa. Nada como relaxar na praia. Voltei pra casa no domingo e, assim que cheguei, liguei o disjuntor do quarto. Imediatamente, a luz se acendeu e o relógio digital que fica sobre o criado mudo esquerdo começou a piscar. Acho que todo relógio digital, quando é ligado, inicia sua contagem em 00:00h.

Tanto eu, quanto meu marido – Vinícius –, temos muita preguiça de ajustar as horas do relógio digital. Não que seja difícil, mas, não sei, dá preguiça. Assim, por muitas vezes, ele permanece dias e mais dias piscando. E para evitar o incômodo das horas piscando quando a luz do quarto se apaga para dormirmos, o Vinícius, espertamente, vira o relógio para a parede. Entretanto, devido à anatomia do aparelho, a hora não fica completamente encoberta, logo que se entra no quarto, pode-se vê-la.

Agora a pouco, entrei no quarto decidida a dormir. Vinícius já dorme há algumas horas. Ao entrar, não pude deixar de ver as horas piscando no relógio digital do criado mudo esquerdo. A hora que piscava era 2:00h, o que me fez pensar que havia exatamente dois dias e duas horas que eu havia chegado em casa da minha viagem a Búzios. De repente, tive uma idéia genial: comprar vários relógios e colocá-los para funcionar a partir de momentos memoráveis da vida, para que eu sempre saiba quanto tempo se passou desde que eles aconteceram e, com isso, possa sempre lembrá-los.

Esta idéia me perturbou. E, pela certeza de que não a concretizarei – em breve, inclusive, acertarei a hora do relógio da cabeceira esquerda e não saberei mais quanto tempo se passou da minha chegada de Búzios – decidi transformá-la em crônica, para que não fosse totalmente inútil.

Anúncios