Posts Tagged ‘deus’

h1

Beleza brasileira

22/02/2011

Lembro a primeira vez que assisti ao filme Beleza Americana. Foi na escola, na aula de Psicologia, no 2º ano do ensino médio, no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, em 2001. Achei o filme louco e, especialmente o filminho da sacola plástica voando, absolutamente irracional.

Mas o tempo passa, as coisas mudam e hoje eu consigo apreciar o filme, vendo-o com outros olhos, os olhos de 10 anos depois, encontrando entrelinhas e entendendo críticas. Ou pelo menos acho que entendo, acho que encontro. Talvez encontre a mim mesma e não a nada que alguém quis dizer.

Foram esses mesmos outros olhos que flagraram uma cena inusitada. Andava eu pela praia da Ferradura, em Búzios, com uma câmera na mão, procurando um momento para eternizar, quando encontrei a própria eternidade. Tudo vai e vem, tudo nasce e morre num movimento ininterrupto e nem um pouco constante. Foi isso que aquele côco me disse. Veja o vídeo.

Anúncios
h1

Mãozinha divina

17/01/2011


Estou passando por um momento em que preciso de uma grande superação pessoal e pensar nisso – considerando a hipótese do sucesso e do fracasso – está me tirando o sono. E, no silêncio e escuro do quarto, de repente, me peguei pedindo a Deus pra me dar uma forcinha. Imediatamente, porém, minha consciência me acusou, disse que eu era muito interesseira, alegando que no dia-a-dia não fico me lembrando de Deus o tempo todo, que na maioria do tempo eu sou muito auto-suficiente. Parei a minha oração no mesmo instante, dando razão a ela, em nome da minha busca pela coerência.

Tendo desistido da oração, passei a considerar a outra possibilidade: a de pensar em Deus o tempo todo e pedir que ele me ajude em tudo. Minha oração pela manhã seria mais ou menos assim:

“Deus todo-poderoso, etc etc etc, me ajude hoje a fazer tudo! Que meu prédio não desabe e que ninguém jogue uma pedra na minha janela de vidro para que eu não me machuque! Que quando eu cozinhe, não deixe queimar nenhum prato! Que eu não engasgue em nenhuma refeição! Que não chova granizo quando eu for na padaria! Etc etc etc.”

Percebi que eu teria que abrir mão de todas as minhas certezas, ou seja, deveria considerar a possibilidade do prédio desabar, de chover granizo aqui e agora e muitas outras coisas absolutamente inesperadas acontecerem a qualquer momento. Deveria, também, desconsiderar que Deus me deu condições de mastigar a comida, por exemplo. Viver sob a tutela de um Deus que me deixa absolutamente insegura quanto às minhas capacidades e que pode cometer loucuras a qualquer momento não me animou nem um pouco.

Decidi, então, dividir as tarefas: o que eu puder fazer, eu faço; o que não, ou desisto, ou, se for muito importante, peço uma forcinha ao Todo Poderoso. Não vou ficar importunando a Deus pedindo pra não queimar o arroz, Ele tem coisas muito mais sérias pra fazer. Vou viver a minha vida de forma digna e honesta, fazendo o bem e tentando contagiar aos que me cercam com este espírito, amando as pessoas e compreendendo as diferenças. Acho que isso é ser cristã. Agindo assim, tenho certeza que Ele não vai me negar uma mãozinha quando eu precisar.